O Tibia feito pelos tibianos

0
197

A comunidade tibiana é formada por diversas nacionalidades, etnias. Eu tenho ou já tive contato com jogadores argentinos, chilenos, mexicanos, poloneses, egípcios, americanos, venezuelanos e, claro, brasileiros. São diferentes tradições, culturas, formas de tratar as pessoas. Porém uma certeza absoluta é que o respeito entre seres humanos é algo que todos prezam no dia a dia, independente de nacionalidade.

Porém o que vemos diariamente não é esse respeito mútuo entre os jogadores. É cada vez mais raro ver atos que realizamos fora do jogo serem praticados dentro do mesmo. Claro, não vamos generalizar, mas é fato que diariamente presenciamos algo que deveríamos, no mínimo, nos envergonhar.

E não podemos jogar toda culpa dentro da comunidade brasileira. Jogadores tóxicos não tem nacionalidade específica. Embora nossa fama nos jogos online não seja lá essas coisas, no Tibia pela comunidade brasileira ser maior, consequentemente seremos os mais praticantes ou vítimas dessa falta de respeito.

O que me fez pensar nisso esses dias foi o evento do Solstício de Inverno. Quem jogou esses dias viu como estava a sala da alavanca pro boss. Impossível que ninguém tenha sido puxado alguma vez. Ou puxou. Eu fui puxado. E também puxei. Não tenho orgulho nenhum disso, muito pelo contrário. Assumir o próprio erro, fazer a famosa mea-culpa, é o começo para melhorar como jogador.

É puxa-puxa em alavanca, roubar a carta em entrada de hunt, agressões verbais, ameaças. São inúmeros atos que tornam quem os pratica um player tóxico. Mas temos a outra parte.

Um belo dia na alavanca do evento, me deparo com uma fila. Jogadores lado a lado esperando sua vez. Me imaginei quem foi que deu a ideia daquilo. Quem teve a coragem de organizar aquilo. Coragem digo porque não seriam todos que poderiam aceitar. Mas deu certo na maioria do tempo que eu presenciei. São jogadores como esses que respeitam e tentam fazer da comunidade um lugar melhor que devemos nos espelhar.

Basta dar uma passada nos grupos das comunidades tibiana. Caso alguém reclamasse de que era puxado, ou mostrando que alguém fez algo errado, apareciam os dois grupos. O primeiro repudiando o ato. O segundo grupo dando risada, achando engraçado. Mas qual a graça nisso? Se alguém falta com respeito com você durante seu trabalho, você daria risada? E se você faltasse com respeito, como acha que a outra parte receberia isso? E qual a diferença da vida real pra vida online? O que faz seu caráter é o conjunto de atos. Pratique dentro do jogo o que você pratica fora dele. Trate as pessoas dentro do jogo como você trata e gostaria que fosse tratado fora dele. E a falta disso não é motivo nenhum de risos.

Lembro da época da escola. Eu era daqueles que gostava de estudar (pelo menos no tempo dentro da classe). Tinham aqueles que não gostavam, atrapalhavam. Minha mãe me falou uma coisa que lembro até hoje: não é a escola que faz o aluno, e sim o aluno que faz a escola. É possível colocar essa frase dentro do jogo. O jogo está lá, com todos seus eventos, quests e comunidade. Mas somos nós que fazemos o sucesso do jogo, e se tudo partir com respeito, garanto que esse sucesso será cada vez maior.