A vida de um boss hunter

1
140

Hoje chegou o dia de contar para vocês de como é meu maior passatempo. Já disse algumas vezes que gosto de quest, achievements, RPG e, claro, os bosses. Esse último item é sem dúvida o meu favorito. A busca incansável por eles ocupa a maior parte do tempo que passo jogando.

Mas antes de contar como é a vida de um boss hunter, preciso contar como me tornei um. Após mais de 5 anos longe do Tibia, quando voltei estava mais perdido que um Yielothax em Tiquanda. Além de não conhecer nada dos itens novos, a única coisa que eu sabia sobre bosses era o nome dos famosos. Ferumbras, Orshabaal, Morgaroth, Ghazbaran. Para o pequeno Elite Knight que voltava, só existiam esses bosses. E eu acabava de entrar em uma guild com um nome que já indicaria meu futuro. Boss Hunters era o nome. E na guild estava o jogador que me faria tornar um.

Ele se chamava Gambiahas, ou Gambs para os amigos. Ele era um monstro na arte de achar boss. Procurava e achava todo tipo de boss. Foi vendo ele achar e mostrar as fotos que eu comecei a ficar interessado. Inclusive foi ele que achou a Midnight Panther que eu ando até hoje. E o primeiro boss que eu vi foi ele quem achou e me chamou. Zushuka. Nunca tinha chego perto daquele lugar, não tinha nem ideia de como era aquele boss. Mas foi ali que tudo mudou pra mim.

Comecei aos poucos. O único boss que eu checava era o White Pale, já que era fascinado em ter um horn (que preciso deixar claro, precisei matar mais de 20 pra dropar). E aos poucos fui passando pra outros. O leque de boss e o desejo de encontrar todos veio no dia que o Gambs me passou uma tabela. Ele tinha uma tabela mostrando prazos de praticamente todos bosses. Vendo aquilo fiquei encantado. E parti para minha jornada de achá-los.

Hoje em dia passo horas procurando os bosses. E depois de mais de 3 anos nessa jornada, cada vez que acho um parece que é o primeiro. Aquela ajeitada na cadeira, o susto, a alegria de achar. Desde o mais fraco até o mais forte e raro. Quem é um boss hunter sabe dessa sensação, e quem não é precisa experimentar. Aquela felicidade de achar, e a adrenalina que vai subindo conforme a vida do boss abaixa, na esperança daquele item raro aparecer na tela. Achar um boss já é um prazer, mas não vou mentir, quando cai aquele raro, a felicidade é imensa.

Não fazemos muita XP, e quando fazemos não se compara aos que vivem caçando. Eu vi amigos meus que eram 100 lvl’s a menos, e hoje estão mais de 600, enquanto eu estou 428. Mas como disse, o que nos move é outra coisa. E uma dica: jamais diga para um boss hunter que ele é sortudo. Ele pode ter pego o item mais raro possível, mas garanto que não é sorte. Nós nos dedicamos muito a isso. São horas e horas atrás deles. Inúmeros mortos até dropar o item desejado. Outros inúmeros perdidos. Sorte não está relacionado a isso. Persistência sim.

Nessa semana que escrevo, a última do mês de fevereiro, encontrei alguns. White Pale, The Welter, Midnight Panther, Mr. Punish, Massacre e Dracola. Sorte? Não, persistência. Algum item raro? nenhum. Mas cada minuto que passei procurando eles valeu a pena.

 

Acho que todos tibianos deveriam experimentar essa sensação. Mas tornar-se um boss hunter não é fácil. E nós gostamos muito disso. E faz do nosso Tibia uma diversão maior ainda.

1 COMENTÁRIO